Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
#ASTROLOGIA

A Mitologia dos Astros: os Doze Trabalhos de Hércules

Eles representam, na verdade, a caminhada da vida de todos nós.
Publicidade
curtiu? compartilhe
05.09 2017

Hércules. Por Bruno Fabrício Cruz, astrólogo e escritor.

Podemos olhar os Mitos em geral como simples histórias ingênuas de uma época não racional, ou como verdades incontestáveis da sabedoria dos antigos. Porém, ambos os olhares estarão equivocados. Como bem salientou Isaac Newton, a vida é significativa - ela apresenta um significado maior. Talvez você não saiba, mas o pai da ciência moderna, para arrepio dos adeptos do materialismo, era um iniciado ocultista e astrólogo.

Newton Re-velou parte da sabedoria secreta quando alegou que os Doze Trabalhos de Hércules mostravam a jornada do Sol pelos Signos do Zodíaco. O que ele não disse, porém, foi que a busca pelo Velocino de Ouro dos Argonautas representa o espírito animal purificado por catarse Iniciática, e que a jornada de Hércules é, na verdade, a caminhada da vida de todos nós.

Pois é, a compreensão exclusivamente materialista dos mitos não consegue explicar a subjetividade da psiquê humana. Dessa forma, pelo viés da psicologia astrológica, os Doze Trabalhos de Hércules mostram a sequência de provações do homem pelos sucessivos espíritos das constelações.

Hércules precisa passar pelos doze testes para evoluir, enfrentar o lado animal do seu ser e ir além da roda zodiacal. Nessa história, os Signos estão representados de maneira bem incomum, uma herança de civilizações mais antigas – o primeiro trabalho é a luta com o Leão (Áries), depois, no segundo trabalho, é preciso vencer a Hidra (Touro). A captura do Javali é Gêmeos... Todas as ações de Hércules com significados profundos dentro da alegoria astrológica e que não caberiam nesse espaço explicar. E essa não seria a primeira vez em que o Zodíaco é alterado em sua nomenclatura e representatividade: as Doze Tribos de Israel, por exemplo, também representam elas os doze Signos de uma maneira bem singular.

Era natural para os antigos se utilizar da linguagem mitológica para fazer chegar as Leis do Universo para todas as gentes, e foi assim que passaram ao povo o conhecimento das regências dos Sete Supremos dos Céus (Mercúrio, Vênus, Lua, Sol, Marte, Júpiter e Saturno). Buscar as respostas nas estrelas era uma atividade óbvia do mundo antes da televisão.

Hoje, porém, fascinados pela tecnologia e tomados de soberba, é fácil esquecermos de que somos seres biológicos vivendo em um pequeno planeta e influenciados pelos astros vizinhos. Sempre digo que Astrologia é como a Lei da Gravidade: mesmo que você não acredite, ela vai acabar agindo sobre sua vida. No entanto, a forma como vamos realizar essas influências cabe apenas a cada um de nós - individualmente. É como a mitologia de Hércules, temos nossos trabalhos a vencer.