Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
#SAÚDE

Foi ampliada a vacinação contra o HPV nos meninos

Ela ajuda na prevenção do câncer e de outras doenças.
Publicidade
curtiu? compartilhe
22.06 2017

No início desse ano, a vacinação contra o HPV, que era só para as meninas, foi aberta para os meninos, contemplando quem tivesse de 12 a 13 anos de idade. Nessa semana, o Ministério da Saúde aumentou a faixa etária da vacinação para eles, que agora vai de 11 a 14 anos.

Juarez Cunha. “A Sociedade de Pediatria já recomendava que a vacina fosse aplicada também nos meninos. O Brasil iniciou com as meninas porque era ali que se esperava o maior impacto, principalmente na proteção contra o câncer de colo de útero”, explica o médico do Comitê de Infectologia e Cuidados Primários da Sociedade de Pediatria do Rio Grande do Sul Juarez Cunha (na foto).

A vacina disponibilizada no SUS é ofertada desde 2014 para as meninas de 9 a 14 anos. Para os meninos, ela visa a proteger contra os cânceres de pênis, garganta e ânus, doenças que estão diretamente relacionadas ao HPV.

“A ampliação é muito bem-vinda. A necessidade era mais imediata para as meninas, e se espera uma redução nos casos de câncer a longo prazo, mas a vacinação nos meninos também é muito importante. A Sociedade de Pediatria recomenda que os pais levem seus filhos para fazer a vacina, que é extremamente segura”, recomenda Juarez.

A vacina do HPV é feita em duas doses, com seis meses de intervalo entre elas. Para as pessoas que vivem com HIV, a faixa etária é mais ampla (9 a 26 anos) e o esquema é de três doses (intervalo de 2 e 6 meses). As três doses também valem pra quem tiver 15 anos ou mais.

Por que fazer?

Você pode pensar, “se eu ainda não transo, devo fazer a vacina?” Deixamos para o próprio Juarez responder: “Muitos pais pensam que fazer a vacina significa uma ‘liberação’ ao sexo. Não é abrir a porta para o sexo, mas fechar para doenças muito graves, como o câncer.” Outro motivo para fazer a vacina é que, nesta fase da vida, meninas e meninos ainda não tiveram contato íntimo ou sexual, e quanto mais jovens, melhor a eficácia do remédio. “Além disso, antes dos 15 anos, é possível fazer em duas doses. Dos 15 em diante, são três”, explica o médico.

Como prevenir?

Fazer a vacina contra o HPV também não significa que a gente pode esquecer da prevenção. “É preciso se cuidar sempre, mesmo depois de se vacinar. O uso do preservativo é regra geral para prevenção a várias doenças”, recomenda Juarez. O médico também afirma que é fundamental que as meninas mantenham, no decorrer da vida, avaliações periódicas com ginecologistas para a detecção e prevenção de doenças.